segunda-feira, 20 de abril de 2020

BID, Covid e Blockchain

Aliança liderada pelo BID, Everis, IOVlabs e World Data, lança aplicativo blockchain para rastrear possíveis infectados pela pandemia. Trata-se da primeira experiência regional de um modelo de identidade soberana deixando cada cidadão sob controle de seus dados pessoais, permitindo responsabilidade e colaboração ativa no controle da pandemia. O aplicativo, David-19, permitirá usuários compartilharem informações sobre isolamento e sintomas estabelecendo registro comum descentralizado sobre o status do usuário, se estão em quarentena ou sem definição. Permitirá geração de mapas de situações de risco e o possível "passaporte digital de saúde", identificando os que já foram infectadas e conseguiram imunidade. As características dessa tecnologia são únicas por serem globais, abertas e, sobretudo, "sociais e solidárias", tornando o cidadão protagonista da ação. Segundo o responsável pelo LACChain, aliança global para o desenvolvimento na América Latina e Caribe do ecossistema de tecnologia blockchain, o David-19 não compartilhará dados pessoais, estritamente privados, sendo que com os dados do aplicativo, governos tomarão decisões quanto a questões de quantas e para onde enviar máscaras, quais bairros, ou quais populações.
O BID desenvolveu através do BID Lab, laboratório de inovação do banco, a plataforma blockchain gratuita "LACChain", anunciada no evento Foromic do BID, reunindo especialistas em identidade digital e inclusão econômica do continente visando garantir veracidade de operações através da internet. A plataforma blockchain, segundo o BID, aprimorará operações, serviços financeiros e educacionais do banco abrindo acesso à tecnologia blockchain, facilitador para alcançar objetivos de impacto social como melhorias nos serviços financeiros, educacionais e de produtividade no campo. A LACChain é uma das chaves ao desenvolvimento de planos de inclusão econômica transparentes, com maior acessibilidade à população do continente. O BID informa que consequente a instabilidade política na Argentina, Equador e Chile, é desafiadora ao continente as "piores perspectivas de crescimento" na inclusão econômica e social devido frustração relacionada ao sistema econômico e social, não dando as mesmas oportunidades a todos.
Moral da Nota: no Brasil, a startup Blockforce lançou a iniciativa 'Desviralize', criando mapa blockchain em tempo real da disseminação do Covid-19 no país. Através da iniciativa, pessoas de todo o Brasil são convidadas preencher questionário indicando se estão ou não diagnosticadas com coronavírus, além de outras perguntas. Com as respostas a empresa divide usuários em cinco categorias indicando o avanço da pandemia. Já a Noruega lançou aplicativo Smittestopp, "Interrompe a infecção", proporcionando às autoridades de saúde compreensão da epidemia, informando ao usuário se estava em contato com pessoa infectada ou se está a 2 metros por mais de 15 minutos de alguém infectado, sem revelar sua identidade.
Olho no Lance: na onda das 'lives', a princesa Leonor e a Infanta Sofia da Espanha participarão de casa da leitura de Dom Quixote, organizada pelo Círculo de Bellas Artes. A poeta Joan Margarit, Prêmio Cervantes 2019, abrirá a leitura e, dentro do primeiro capítulo do romance, a princesa Leonor e a Infanta Sofia intervirão promovendo e enfatizando a importância de leitura em crianças e jovens. Participarão do evento, a Presidente da Comunidade de Madri, Isabel Díaz Ayuso, o Ministro da Cultura e Esporte, José Manuel Rodríguez Uribes, o Prefeito de Madri, José Luis Martínez Almeida, o presidente do Círculo de Bellas Artes, Miguel Hernández León, o diretor da CBA, Valério Rocco Lozano, o filósofo Emilio Lledó, o chefe do Departamento de Emergência do Hospital Clínico San Carlos, Madri, funcionários da limpeza, administrção, motoristas e membros da segurança do estado.
Obs: nada a dizer, só a sugestão entre nós para complementação de estudo virtual de nossos e nossas confinadas (os) crianças e adolescentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário